Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VICTOR HUGO BRITO DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VICTOR HUGO BRITO DE OLIVEIRA
DATA: 04/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/xvg-uctj-rwr
TÍTULO: FATORES DETERMINANTES PARA A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM ESTADO BRASILEIRO
PALAVRAS-CHAVES: Violência contra a Mulher; Fatores de Risco; Enfermagem.
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

Introdução: A violência contra a mulher caracteriza-se pela violação dos direitos humanos e
constitui uma condição complexa e endêmica, assim como um grave problema no contexto
global por gerar impactos epidemiológicos, culturais, políticos, econômicos e de saúde. Novas
investigações que visam determinar os preditores e fatores associados são fundamentais para
subsidiar a notificação, a prevenção e controle, além do fortalecimento de estratégias de
proteção à mulher. Objetivo: Analisar os indicadores de violências contra a mulher notificados
pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação no Piauí, durante o período de 01 de
janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2020. Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva,
transversal e analítica, com coleta retrospectiva de dados, realizada com 24.353 casos
notificados de violência contra a mulher nas unidades assistenciais do estado do Piauí. Para
coleta foi utilizado um formulário composto por variáveis sociodemográficas, clínicas e
terapêuticas. A análise foi realizada com nos princípios da estatística descritiva e inferencial.
Esta investigação dispensou a necessidade de apreciação ética. Resultados: A violência
contra a mulher constituiu um problema frequente, complexo, multidimensional e impactante no
contexto piauiense, apresentando tendência crescente nos indicadores epidemiológicos,
especialmente entre os anos de 2012 e 2019 que se destacaram por concentrar o maior
número de notificações. Evidenciou-se predomínio de pessoas solteiras, autodeclaradas
pardas, com baixa renda e escolaridade. Apesar da menor frequência, episódios de violência
foram identificadas durante o curso gestacional. Destacaram-se notificações relacionadas à
agressão, seguida da exploração sexual, dos danos psicológicos, da negligência ou abandono,
da violência financeira e do trabalho infantil. Ainda, episódios de violência autoprovocada e
tentativa de suicídio foram identificados, em que a presença deficiências ou de transtornos
mentais e comportamentais contribuíram para o maior risco de eventos da mesma natureza. O
perfil do agressor, especialmente na violência sexual, foi expresso na maioria das vezes pelo
sexo masculino, com grau de parentesco de cônjuge ou pai. Conclusão: Novas investigações
são necessárias para dimensionar os impactos individuais, coletivos, culturais, econômicos e
de saúde que a violência contra a mulher pode acarretar, assim como para favorecer o
fortalecimento de redes integrais de saúde e políticas públicas favoráveis a prevenção e
controle deste agravo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423584 - IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
Interno - 665.904.343-87 - LORENA CITO LOPES RESENDE SANTANA - UFPI
Externo ao Programa - 1551620 - MARIA ZELIA DE ARAUJO MADEIRA
Notícia cadastrada em: 25/01/2022 10:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 04/12/2022 01:45