News

Banca de DEFESA: ANTONIO CARLOS DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
DATA: 29/05/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Video II
TÍTULO:

ESTUDO GEOAMBIENTAL DA OCORRÊNCIA DE CASOS DE MALÁRIA NO PIAUÍ. ESTUDO DE CASO: CAMPO LARGO DO PIAUÍ E PORTO 2002 A 2013

 


PALAVRAS-CHAVES:

Anopheles. SIG. Incidência Cumulativa. Áreas quentes. Risco. Doença infecciosa


PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Regional
RESUMO:

A malária é uma doença infecciosa, aguda, febril transmitida pela picada da fêmea de mosquito do gênero Anopheles. A malária é uma doença de importância epidemiológica da região norte do Brasil por apresentar uma elevada incidência e potencial de gravidade. A população que vive em condições precárias de habitação e saneamento nesta região é a mais suscetível a contrair a doença causando perdas sociais e econômicas em suas vidas. A malária no Piauí nos últimos doze anos tem acometido pessoas principalmente residentes na área rural, sendo pouquíssimos os casos ocorridos na zona urbana dos municípios. Neste contexto, esta pesquisa teve como objetivo principal realizar o estudo geoambiental e ecoepidemiológico da ocorrência de casos de malária no estado do Piauí, durante o período do ano de 2002 a 2013. Bem como, modelar com o uso de Sistema de Informação Geográfica (SIG), as áreas de risco nos municípios de Campo Largo do Piauí e Porto – PI, locais onde ocorreu o maior surto de malária (ano de 2004) da série histórica estudada. O método utilizado foi o observacional descritivo com a natureza quantitativa e qualitativa, onde em suas etapas as hipóteses e a problemática relacionaram com os resultados. Utilizou-se o cálculo da Incidência Cumulativa – IC na análise da distribuição espacial dos casos de malária em todo o estado do Piauí, a técnica da densidade de Kernel na identificação das áreas quentes e método multicritério aditivo na definição das áreas de risco de Campo Largo do Piauí e Porto em ambiente SIG. Os resultados mostraram que os municípios de Campo Largo do Piauí, Matias Olímpio, Luzilândia, Madeiro e Porto foram os que apresentaram maior incidência cumulativa (IC) de malária no período de 2002 a 2013, sendo IC > 15,4/100.000. Através dos mapas de espacialização dos casos de malária por ano observou-se que a ocorrência da doença é distribuída por todo o estado do Piauí. Houve um significativo aumento da área geográfica com transmissão de malária, partindo do ano de 2002 com incidência em seis municípios e chegando a atingir 24 municípios em 2011. O mapa de distribuição espacial dos anofelinos no Piauí mostra que das 17 espécies identificadas no estado durante o período de estudo, o A. darlingi e o A. albitarsis estão presentes em cerca de 30% dos municípios. Os mapas de modelo de elevação, declividade e de unidades geomorfológicas de Campo Largo do Piauí e Porto indicaram que as áreas mais baixas e menos declivosas foram as que mais registraram ocorrência da doença. O mapa de uso e cobertura das terras identificou que, a ocorrência de vilas rurais, corpos d’água, carnaúba, pasto e a de floresta com babaçu demonstraram associações com a transmissão da malária. O mapa de densidade de Kernel mostrou as áreas mais críticas, denominadas de quentes, para transmissão da malária e possibilitou a visualização das localidades expostas e a identificação das superfícies de risco em Campo Largo do Piauí e Porto, no surto que ocorreu em 2004. O mapa de risco de ocorrência de malária gerou quatro classes: baixo, moderado, alto e muito alto risco de ocorrer malária, sendo que as duas últimas tiveram destaque com 57% e 43% de concentração dos casos da doença nos dois municípios durante o período estudado. Diante das análises conclui-se que a variação espacial e temporal da transmissão da malária nos municípios de Campo Largo do Piauí e Porto está associada a geomorfologia e com a dinâmica da população humana, isto é, com os padrões de uso da terra, atividades de pesca e de lazer como também dos fluxos migratórios.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1300002 - GUSTAVO SOUZA VALLADARES
Externo ao Programa - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Externo à Instituição - HELEN DA COSTA GURGEL - UnB
Externo à Instituição - IZABELLA CABRAL HASSUM - EMB/CENARGEN
Notícia cadastrada em: 19/05/2015 12:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 08:17