News

Banca de DEFESA: ANGELA OLIVEIRA VIEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANGELA OLIVEIRA VIEIRA
DATA: 17/02/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Vídeo II
TÍTULO: Produção do espaço urbano, moradia e formas socioespaciais na cidade de Teresina (PI)
PALAVRAS-CHAVES: Espaço urbano. Moradia. Formas socioespaciais. Teresina.
PÁGINAS: 155
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
RESUMO:

A cidade de Teresina que tem sua origem vinculada às funções administrativa do poder público, também se desenvolve a partir de outras funções. Um dos segmentos que muito tem contribuído para a dinâmica da cidade refere-se à produção da moradia, seja de baixo ou de alto padrão de renda. Desde sua consolidação enquanto capital do estado do Piauí, a cidade tem forte ligação, especialmente com a construção de conjuntos habitacionais, que se iniciam ainda na década de 1960, e com o processo de ocupação “informal” de espaços para moradia. Deste modo, esta pesquisa tem como objetivo analisar o processo de produção do espaço urbano sob o enfoque da moradia popular em Teresina relacionando-o com a política de habitação e o direito a moradia, bem como avaliar a partir de quatro critérios (aspecto histórico, ação dos agentes e atores sociais e, a descrição sobre a forma espacial) estabelecidos para esta pesquisa, as condições de moradia e o que caracteriza cada um dos espaços de moradia popular em Teresina. Quanto aos objetivos específicos a pesquisa, visa: a) discutir a dinâmica de produção e reprodução do espaço urbano relacionando com o processo de urbanização no Brasil; b) compreender as relações existenciais entre a legislação vigente e a política urbana de moradia; c) discutir a produção da moradia popular em Teresina através das ações do poder público e da sociedade relacionando como a evolução recente da cidade e com o planejamento urbano; d) verificar as lutas por moradia no período posterior à década de 1960 e o contexto em que surgem as ocupações urbanas “irregulares” em Teresina; e, e) caracterizar a partir dos critérios, estabelecidos para esta pesquisa, os espaços de moradia popular que redefinem a paisagem urbana de Teresina. No intuito de atender os objetivos propostos, a pesquisa utilizou como procedimentos metodológicos a pesquisa bibliográfica, desenvolvida paralela às demais etapas; levantamentos de dados, onde algumas instituições públicas (federal, estadual e municipal) foram consultadas; pesquisa de campo, além do uso da técnica de entrevistas. Algumas leis de cunho nacional, como a Constituição Federal de 1988 e a Lei 10.257/2001 (Estatuto da Cidade), e autores como; Corrêa (2000); Santos (1993; 2001); Carlos (2008; 2001; 2013), Spósito (2004); Souza (2015); Harvey (1980) e Lefebvre (2001; 1999); Moreira (1972); Abreu (1983), Façanha (1998), Lima (2010a; 2010b), Viana (1999), assim como os Censos de Vilas e Favelas (1993, 1996 e 1999) são alguns dos utilizados. Quanto ao recorte espacial, manteve-se o olhar sobre a zona Sul de Teresina, uma vez que a mesma representa as demais zona da cidade, no que se refere ao processo de produção do espaço urbano sob enfoque da moradia popular. Quanto à escala temporal leva-se em consideração um recorte da década de 1960, (embora as análises feitas não sejam linear) a 2015. A análise empreendida nesta pesquisa permitiu observar que a produção da moradia popular em Teresina, seja de natureza pública ou por intervenções da própria sociedade, a exemplo das ocupações urbanas, tem contribuído de maneira significativa para modificação do espaço urbano, nesta cidade. 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Interno - 2280398 - ARMSTRONG MIRANDA EVANGELISTA
Interno - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Externo à Instituição - LUCINEIDE BARROS MEDEIROS - UESPI
Notícia cadastrada em: 25/01/2017 08:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 04/10/2022 03:15