News

Banca de QUALIFICAÇÃO: GERSON DIAS DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GERSON DIAS DE SOUSA
DATA: 18/07/2017
HORA: 09:00
LOCAL: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS - CCHL ( SALA DA PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA)
TÍTULO: DIÁSPORA CHINESA E NOVAS TERRITORIALIDADES: COMÉRCIO, REDES E VIVÊNCIAS DOS CHINESES EM TERESINA/PI
PALAVRAS-CHAVES: Diáspora. Território. Mobilidade. Redes
PÁGINAS: 121
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
ESPECIALIDADE: Geografia da População
RESUMO:

Compreender a presença de imigrantes chineses em Teresina nos leva a pelo menos dois grandes desafios. O primeiro que é abordar o assunto da diáspora chinesa na contemporaneidade no contexto da globalização, da mobilidade e da construção de novas territorialidades. O segundo é discutir como se estrutura este processo de territorialização chinesa em Teresina por intermédio da atividade comercial por eles desenvolvida, pelas redes sociais mantidas ou criadas durante a migração e das vivências experienciadas através das práticas socioespaciais em um aspecto simbólico e/ou material, evidenciando suas peculiaridades e especificidades. Neste processo, há o entrelaçamento de um conjunto de experiências, simbolismos, conflitos culturais e identitários, onde estes aspectos, tornam a análise do objeto de estudo da pesquisa complexo, por englobar um arcabouço teórico-conceitual polissêmico. Através da participação desses imigrantes em diásporas eles compartilham o mesmo território com diferentes grupos culturais e organizam suas territorialidades com elementos de desterritorialização, trazidos de sua terra natal, e com elementos de reterritorialização, encontradas na nova terra. Portanto, averiguamos a integração de trabalhadores chineses no comércio de Teresina como resultado dos recentes fluxos migratórios e a relação destes com o novo lugar, que agrega a dimensão material e simbólica e as possibilidades e conquistas de acordo com a conjuntura econômica em que os lugares e indivíduos estão envolvidos. Para tanto, a presente pesquisa tem como objetivo geral analisar a presença dos chineses em Teresina na perspectiva da construção de uma nova territorialidade, a partir do comércio, das redes sociais resultante da diáspora e das vivências dos imigrantes chineses em Teresina. Objetivamos especificamente estabelecer a relação entre diáspora chinesa e o processo de territorialidade dos imigrantes chineses em Teresina; compreender sob a ótica da territorialidade, das redes e da mobilidade a presença dos chineses em Teresina; investigar a imagem e os estereótipos dos chineses na visão dos teresinenses transeuntes/clientes na região central da cidade, e por fim, destacar a manifestação e a dinâmica da construção da territorialidade e das vivências dos chineses em Teresina. Para fundamentar as categorias e conceitos chaves (diáspora, território, mobilidade e redes)  empregados na pesquisa, destacamos as obras de Hall (2003, 2006), Ma Mung (1999), Bhabha (1998), Haesbaert (2005, 2008, 2011, 2012), Rafestin (1993), Saquet (2008, 2015), Bauman (1997), Lefrebvre (2000), Harvey (2008). Buscamos um equilíbrio teórico-conceitual entre autores da geografia e de outras disciplinas. Empregamos nesta pesquisa, uma metodologia de natureza qualitativa recorrendo ao recurso associativo do método hipotético-dedutivo e fenomenológico, tendo em vista que procuramos compreender o fenômeno que ocorre em Teresina, com a presença dos migrantes chineses a partir da análise de outros estudos no Brasil, levantando a hipótese de que, o que ocorre em Teresina é um reflexo, mesmo que tardio, da diáspora chinesa no Brasil, destacando assim, as particularidades e especificidades do caso empírico. Recorremos ainda, ao método de pesquisa de campo, fazendo observações e levantamentos in loco, coletando informações através de entrevistas semiestruturadas com comerciantes chineses e teresinenses e a transeuntes/clientes. Elaboramos também um mapa mostrando a espacialização dos estabelecimentos comercias dos chineses no bairro centro e arredores. Além disso, realizamos visitas a órgãos públicos como Policia Federal e IBGE. Como resultados preliminares verificamos que o grupo étnico chinês, especialmente no centro de Teresina, se apresenta atualmente como um grupo de imigrante, que possui um número representativo de estabelecimentos comercias, com uma forma bem característica e que já vem durando alguns anos. Um grupo heterogênio, mas com forte identidade cultural, cujas relações sociais são marcadas por clivagens internas, redes e solidariedade, configurando assim uma nova territorialidade, tanto no sentido funcional/material quanto simbólica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1510469 - RAIMUNDO WILSON PEREIRA DOS SANTOS
Interno - 1671765 - ANDREA LOURDES MONTEIRO SCABELLO
Externo à Instituição - TERESINHA DE JESUS DOS SANTOS SOUSA - UESPI
Notícia cadastrada em: 06/07/2017 06:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 22:04