• O sistema entrará em processo de atualização de funcionalidades às 22:30. Pedimos a todos que salvem seus trabalhos para que não haja transtornos.
    Agradecemos a compreensão, em 15 minutos o sistema estará de volta.
News

Banca de DEFESA: ALBERT ISAAC GOMES VIANA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALBERT ISAAC GOMES VIANA
DATA: 28/02/2018
HORA: 14:30
LOCAL: CCHL _ UFPI
TÍTULO: ANÁLISE GEOAMBIENTAL DOS PARQUES URBANOS DE TERESINA, PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Mapeamento dos parques urbanos. Parques das faixas de APP de Teresina. Os parques e a qualidade de vida urbana.
PÁGINAS: 116
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Regional
ESPECIALIDADE: Análise Regional
RESUMO:

Os parques constituem importantes espaços da paisagem urbana, porque contribuem para amenizar as altas temperaturas, a redução dos riscos de inundações, para a prática de lazer e, assim, para a ampliação da qualidade do ambiente e da vida da população. Partindo dessa concepção e da constatação de que a cidade de Teresina (Piauí) dispõe de 32 parques urbanos ainda pouco conhecidos, esta pesquisa teve como objetivo geral estudar a distribuição espacial dos parques urbanos, analisando as características do ambiente daqueles localizados nas Áreas de Preservação Permanente (APP) dos rios Parnaíba e Poti. Os objetivos específicos foram: a) resgatar a história dos parques urbanos, contextualizando a criação dos parques da cidade de Teresina; b) identificar a posição dos parques nas bacias hidrográficas locais e suas áreas de cobertura vegetal, destacando a participação do verde por Região Administrativa da cidade; e c) caracterizar o ambiente dos parques que ocupam as faixas de APP dos rios Parnaíba e Poti, na cidade de Teresina. A pesquisa correspondeu a um estudo de caso, utilizando uma metodologia baseada na coleta e análise de informações sobre os Parques Urbanos, a partir das referências a eles existentes, de observações de campo, de entrevistas técnicas, além do uso do geoprocessamento através da manipulação dos seguintes softwares: QGis (versão 2.14.7), ArcGis (versão 10.5.1, com licença estudantil) e o Google Earth Pro. Fez-se a análise geral dos dados destacando a espacialização dos Parques por Região Administrativa da cidade (Centro-Norte, Sul, Sudeste e Leste), detalhando as características daqueles situados nas faixas de APP’s dos rios Parnaíba e Poti: Beira Rio, Acarape, Prainha, Encontro dos Rios, Zoobotânico, Vila do Porto, Parque da Cidade, Raul Lopes, Floresta Fóssil I e II, Potycabana e Curva São Paulo. Os resultados obtidos permitiram chegar-se a algumas conclusões, dentre elas: a) o rápido crescimento dessa cidade nas últimas décadas não foi acompanhado de um planejamento necessário ao estabelecimento de critérios e normas para a criação de parques com funções ambientais e sociais; b) a existência de irregular distribuição (espacialização) dos parques no que se refere à regionalização de Teresina, apresentando uma predominância na região Centro-Norte; mediana ocorrência na região Leste e pequena ocorrência nas regiões Sul e Sudeste da cidade; c) a região Centro-Norte concentra também a maior área de cobertura vegetal da cidade, esteja ela relacionada aos parques urbanos ou a praças, quintais e terrenos particulares; d) os parques localizados nas faixas de APPs apresentam satisfatória cobertura vegetal, com exceção da Potycabana (região Leste) e da Curva São Paulo (região Sudeste), por ter o lazer de massa como principal finalidade; e) com relação ao estado de conservação dos parques ribeirinhos, considerou-se como maiores danos socioambientais existentes: a presença de descarte inadequado de lixo e lançamento de esgotos in natura; depredação por parte da população; processos erosivos e trilhas abandonadas; sendo os que se encontram em estado mais críticos os parques Vila do Porto (Centro-Norte) e Prainha (Sul), se comparados aos demais. Finalizou-se enfatizando a necessidade e importância dos parques urbanos em Teresina como espaços que exerçam suas funções de proteção do ambiente e de lazer de qualidade para a população, uma vez a cidade apresenta elevadas temperaturas do clima durante todo o ano, densa rede de drenagem, diversos morros residuais e um elevado percentual de área de faixas de APPs ao longo dos rios Parnaíba e Poti no trecho urbano. Também porque a população dispõe de poucas áreas livres públicas destinadas ao lazer, pois, além de mal distribuídos na cidade, a grande maioria dos parques existentes não dispõem de infraestrutura adequada e eficiente para tal.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6422093 - IRACILDE MARIA DE MOURA FE LIMA
Interno - 2440142 - BARTIRA ARAUJO DA SILVA VIANA
Externo à Instituição - ADRYANE GORAYEB NOGUEIRA CAETANO - UFC
Externo à Instituição - MARIA SUZETE SOUSA FEITOSA - UESPI
Externo à Instituição - RENATO SÉRGIO SOARES COSTA - IFPI
Notícia cadastrada em: 08/02/2018 17:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 22:23