News

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCOS ANTONIO PINHEIRO MARQUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS ANTONIO PINHEIRO MARQUES
DATA: 11/05/2018
HORA: 09:30
LOCAL: Sala 338
TÍTULO: Transformações territoriais estabelecidas pela inserção dos parques eólicos no município de Marcolândia, no semiárido piauiense
PALAVRAS-CHAVES: Parques Eólicos. Marcolândia. Energia renovável. Transformação territorial.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Regional
ESPECIALIDADE: Análise Regional
RESUMO:

A expansão do setor eólico no Estado do Piauí na última década diante de sua viabilidade eólica, de intensas políticas de incentivos e elevados investimentos, tem refletido consideráveis processos e dinâmicas cabíveis de análise, sobretudo no que se refere as transformações territoriais inerentes a estes expressivos empreendimentos. É nesse cenário, que o semiárido piauiense típico por sua “identidade” de múltipla escassez, faz emergir o seu potencial, dentre outros, a força dos ventos. A pesquisa apresenta como recorte espacial o município de Marcolândia–PI que situado à 414 km de Teresina, insere-se no semiárido do Estado e apresenta uma das maiores concentrações de parques eólicos no Nordeste. Surge como recorte temporal, o período de 2008 a 2018, que representa a chegada desses empreendimentos no Piauí, bem como a sua expansão evidenciada em municípios como Marcolândia. Diante dos comportamentos em que se busca analisar na pesquisa, questiona-se: Quais as dinâmicas estabelecidas no território a partir da inserção dos parques eólicos no contexto da gestão e transformação territorial? Como se deu a inserção e expansão dos parques eólicos no Piauí à luz das potencialidades naturais, regulamentação e incentivos (investimentos)? Quais as características espaciais, econômicas, sociais e ambientais estabelecidas pelos parques eólicos no Semiárido piauiense e suas implicações no território? Em que intensidade os parques eólicos instalados em Marcolândia estabelecem transformações e novas características territoriais a luz das dinâmicas endógenas e exógenas? Quais os “impactos” estabelecidos pelos parques na percepção das empresas atuantes no setor eólico e da sociedade local? Destarte, a presente pesquisa que se encontra em fase de construção tem por objetivo geral analisar o uso do território no município de Marcolândia a partir da inserção dos parques eólicos no Semiárido piauiense, destacando processos e dinâmicas no âmbito das dimensões econômica, social e ambiental estabelecidos diretamente por estes empreendimentos à luz do desenvolvimento territorial. Nesse contexto, propõem-se como objetivos específicos: a) construir uma discussão acerca de território enfatizando aspectos teóricos e operacionais no âmbito da gestão, estratégia e desenvolvimento, relacionando-os aos processos de transformação territorial e expansão dos parques eólicos no país; b) contextualizar de forma panorâmica a expansão dos parques eólicos no Brasil e Nordeste a partir das necessidades energéticas, ambientais, normatizadoras, bem como as dinâmicas operacionais atreladas aos empreendimentos eólicos; c) Investigar a expansão dos parques eólicos no Piauí à luz das dinâmicas territoriais estabelecidas por estes empreendimentos em duas mesorregiões piauienses e no semiárido do Estado; d) Identificar os reflexos das transformações no território estabelecidas pelos parques eólicos diante da análise dos processos das dinâmicas endógenas e exógenas a partir das dimensões econômica, social e ambiental. Diante das discussões propostas, a pesquisa apresenta a dialética como método de abordagem, sendo utilizados como procedimentos metodológicos: pesquisas bibliográficas, levantamentos documentais e prática de campo, na qual se aplicara questionários e entrevistas bem como análises empíricas. Como resultados preliminares evidencia-se que a intensa expansão dos parques eólicos mesmo diante do vasto potencial encontrado no país, atrela-se diretamente a intensos incentivos fiscais e financeiros estabelecidos sobretudo pelo Estado. Destarte, os processos e dinâmicas inerentes a cadeia produtiva do setor no país tem refletido novos arranjos territoriais em um contexto marcado pela consolidação do setor no país.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423676 - ANTONIO CARDOSO FACANHA
Externo à Instituição - ANTONIO JOAQUIM DA SILVA - CEFET/PI
Interno - 2231533 - EMANUEL LINDEMBERG SILVA ALBUQUERQUE
Notícia cadastrada em: 26/04/2018 22:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 02/10/2022 22:51