News

Banca de DEFESA: DENILSON BARBOSA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DENILSON BARBOSA DOS SANTOS
DATA: 28/02/2019
HORA: 08:30
LOCAL: SALA DE VÍDEO 1
TÍTULO: PRÁTICA DOCENTE DE GEOGRAFIA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO NO ASSENTAMENTO BUENOS AIRES DO MUNICÍPIO DE CAXIAS-MA
PALAVRAS-CHAVES: Escola Camponesa. Prática docente. Geografia Escolar. Educação do Campo. Assentamento Buenos Aires.
PÁGINAS: 241
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
ESPECIALIDADE: Geografia Agrária
RESUMO:

A escola e a prática docente, têm sentidos e significados distintos para cada professor, já que todos nós somos seres sociohistóricos únicos e com personalidades únicas. Desse modo, esta pesquisa desenvolveu-se considerando a interface entre a Educação do Campo, a escola e a prática docente de Geografia, sob a lupa da Geografia Humana e evidências empíricas. De maneira ampla este trabalho, consiste em analisar o papel da Escola Apolônio Facundes de Sousa e da prática docente de Geografia no Assentamentos Buenos Aires do Município de Caxias- MA. Especificamente, verifica-se como o professor que não é da Educação do Campo, se percebe enquanto docente de Geografia, o que o move a trabalhar e permanecer atuando na escola do Assentamento Buenos Aires em Caxias -MA; Caracteriza-se a prática docente de Geografia desenvolvida na escola do Assentamento Buenos Aires em Caxias -MA e, por fim, identifica-se os fatores que favorecem ou dificultam o desenvolvimento da prática do professor de Geografia em Educação do Campo na escola deste assentamento, bem como o sentido e o significado atribuído por ele à sua prática docente. Os aportes teóricos constituem em autores que dialogam com o papel da escola (RODRIGUES, 1997; AZEVEDO, 2007; GOULART, 2014; OLIVEIRA, 1994); prática docente (FRANCO, 2016; 2012; 2010), Geografia Escolar (COSTELLA, 2017; 2015;  CAMACHO, 2011; CASTROGIOVANNI, 2011; 2009; 2007; CALLAI, 2011; CAVALCANTI, 2011; 2010; 2002; CASTELLLAR, 2005),  Educação do Campo (CALDART, 2009; 2005; 2004;  FERNANDES, 2009a; 2009b; 2005) e assentamentos rurais (TARGINO, 2002; GIRARDI, 2008; FERNANDES, 2005) e de pesquisa documental na legislação educacional vigente e outros documentos oficiais que dão base legal e sentido a Educação do Campo e ao ensino de Geografia (BRASIL, 2014; 2013; 2012; 2008; 2002; 2000; 1998; 1996; 1988). Optou-se por seguir os parâmetros da metodologia qualitativa de investigação e do método materialismo histórico e dialético (MARAFON et al., 2013; MINAYO, 2004; 2000; ROSSI, 2014; AGUIAR; OZELLA, 2013; 2006), os quais nortearam todas as etapas do trabalho de campo junto à escola e ao professor de Geografia, interlocutor da pesquisa,  com aplicação de questionários, realização de entrevistas semiestruturadas e observação participante de aulas com registros em diário de campo e fotográfico nos anos letivos de 2017 e 2018. Na organização, análise e interpretação dos dados, com base  em Aguiar e Ozella (2013; 2006), foram inferidos e sistematizados 5 núcleos de significação, reveladores do modo de pensar, sentir e agir do Prof. Francisco José, interlocutor desta pesquisa, no movimento dialético de sua atividade docente: 1) O ser professor de Geografia em assentamento rural como uma atividade humana focada na qualidade do trabalho docente e da aprendizagem discente significativa, emancipadora e transformadora; 2) Saberes docentes consolidados e não consolidados, o exercício da docência e o ser professor de Geografia no âmbito da fase inicial do ciclo de vida profissional; 3) O currículo de Geografia como experiência vivida; 4) Prática docente de Geografia em Educação do Campo como práxis, fonte de conhecimento e geradora de novos conhecimentos; 5) O papel da escola e da prática docente de Geografia na formação dos educandos camponeses: uma apreensão dos sentidos e significados. Os resultados revelam que o sentido e o significado atribuído ao papel da escola e da prática docente de Geografia em Educação do Campo pelo professor investigado estão intimamente vinculados a epistemologia que fundamenta a tal prática, a qual segundo ele, baseia-se na Pedagogia Libertadora freireana e na corrente psicológica histórico-cultural vygostkyana, pois prioriza a mediação do processo de construção do conhecimento de seus educandos, com vista formar cidadãos autônomos, emancipados, críticos, reconhecendo-se como sujeitos históricos. Nesse aspecto, esse professor, é consciente de sua enorme responsabilidade e da própria escola Apolônio Facundes de Sousa, na formação humana integral dos seus educandos e na construção de uma sociedade brasileira, maranhense e caxiense mais justa, igualitária, com mais educação e desenvolvimento em todas suas dimensões.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1510469 - RAIMUNDO WILSON PEREIRA DOS SANTOS
Interno - 1087152 - JOSELIA SARAIVA E SILVA
Externo ao Programa - 1703312 - ELMO DE SOUZA LIMA
Externo ao Programa - 2140464 - RAIMUNDO JUCIER SOUSA DE ASSIS
Externo à Instituição - JORGE MARTINS FILHO - UFPE
Notícia cadastrada em: 14/02/2019 14:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 01:55