News

Banca de DEFESA: FRANCISCO WELLINGTON DE ARAUJO SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO WELLINGTON DE ARAUJO SOUSA
DATA: 28/02/2020
HORA: 08:00
LOCAL: CCHL - Sala de video 1
TÍTULO: PAISAGENS DA PORÇÃO OESTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GUARIBAS, ESTADO DO PIAUÍ, BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Bacia Hidrográfica. Planejamento Ambiental. Análise Integrada da Paisagem
PÁGINAS: 131
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Regional
ESPECIALIDADE: Análise Regional
RESUMO:

A Porção Oeste da bacia hidrográfica do rio Guaribas (POBHG) está localizada na região sudeste piauiense, na microrregião de Picos, perfazendo uma área de aproximadamente 2.285,06 km2. O objetivo geral da pesquisa compreende analisar as unidades de paisagem da POBHG, a partir de uma perspectiva integrada, como subsídio ao planejamento ambiental. Como objetivos específicos estabeleceram-se: a) caracterizar os componentes biofísicos e socioeconômicos; b) realizar uma análise integrada entre os componentes biofísicos e socioeconômicos dos municípios que se encontram na área de estudo identificando as potencialidades e limitações de cada unidade de paisagem; c) realizar o mapeamento do uso e cobertura da terra da Porção Oeste da bacia hidrográfica do rio Guaribas com o uso de técnicas de geoprocessamento e, d) identificar os impactos socioambientais relacionados às formas de uso em cada unidade de paisagem. A pesquisa tem como base teórica-metodológica a abordagem sistêmica, a partir da perspectiva de análise integrada da paisagem, fundamentada nos seguintes autores:  Bertalanfy (1975), Bertrand (1972); Sotchava (1977); Tricart (1977); Christofoletti (1999). Como procedimentos metodológicos, fez-se inicialmente a delimitação da área de estudo, o levantamento das referências teórico-metodológicas e em seguida a sistematização dos dados e informações, tendo as técnicas de geoprocessamento como apoio para os mapeamentos e análises da área de estudo. Obteve-se como resultados relativos à caracterização fisiográfica que a base geológica é predominantemente formada por rochas que compõem a Bacia Sedimentar do Parnaíba, correspondendo às formações Jaicós, Pimenteiras e Cabeças. Com relação aos aspectos climáticos, a área de estudo está inserida totalmente na região semiárida do Nordeste brasileiro, com índices pluviométricos de valores médios anuais de 400 até 900 mm. Os aspectos hidrográficos se caracterizam pela predominância de cursos de água efêmeros ou temporários, que são afluentes e subafluentes do rio Guaribas. O relevo apresenta altitudes variáveis, sendo que a maior parte se encontra entre 300 a 600 m, em áreas relativamente planas a suave ondulados e, com base em técnicas de geoprocessamento e apoiada na classificação taxonômica de Ross (1992) o relevo da área de estudo foi classificado em cinco unidades geomorfológicas: i) Vale Sujeito à inundação; ii) Superfície dissecada Aplainada iii) Superfície Dissecada com Morros Residuais; iv) Planaltos tabulares com morros residuais e; v) Reverso de Cuesta dissecado. Em relação aos aspectos pedológicos, observou-se uma predominância dos Latossolos Amarelos, Neossolos Litólicos e dos Argissolos Vermelhos. No que se refere aos aspectos populacionais e a dinâmica dos indicadores socioeconômicos, verificou-se um aumento da população e melhorias no IDHM no ano de 2010 em relação a 2000, assim como do PIB total considerando os anos de 2016 e 2017. No entanto, a economia ainda se concentra no setor de serviços, sem grande destaque para a indústria. Constatou-se uma predominância das lavouras temporárias em relação às permanentes, caracterizando a permanência do cultivo tradicional (feijão, milho e mandioca), o que reflete na paisagem com a permanência de práticas insustentáveis. Em cada unidade de paisagem foi perceptível processos intensos de degradação ambiental que se encontram relacionados às formas de uso, materializados a partir de impactos recorrentes e semelhantes em cada unidade, como o desmatamento da vegetação nativa; a erosão do solo; cultivo inadequado nas margens dos cursos de água e as queimadas. Identificaram-se como impactos negativos no Guaribas na área urbana de Picos: a poluição do rio, resultante do descarte do lixo no leito e nas suas margens e ao lançamento de esgoto in natura, com o consequente surgimento de aguapés nas suas águas; além do desmatamento das matas ciliares. Deste modo, espera-se que a pesquisa possa nortear as políticas de planejamento e gestão ambiental na área de estudo, visando fornecer informações relevantes para tomadas de decisões no que se refere a proteção dos recursos naturais, principalmente relacionado à medidas adequadas de manejo do solo e ações de recuperação das áreas de preservação permanente dos cursos d'água.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6422093 - IRACILDE MARIA DE MOURA FE LIMA
Interno - 1300002 - GUSTAVO SOUZA VALLADARES
Externo à Instituição - SIDINEYDE SOARES DE LIMA COSTA - SEMEC-TERESI
Notícia cadastrada em: 21/02/2020 11:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 05:03