News

Banca de DEFESA: GÉSSICA MARIA MESQUITA MONTEIRO COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GÉSSICA MARIA MESQUITA MONTEIRO COSTA
DATA: 30/07/2021
HORA: 08:00
LOCAL: AMBIENTE VIRTUAL GOOGLE MEET
TÍTULO: ANÁLISE GEOAMBIENTAL DA LAGOA DO MULATO, MUNICÍPIO DE JARDIM DO MULATO, PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: Lagoa fluvial. Riacho Mulato. Dinâmica fluvial. Check-list. Impactos socioambientais.
PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Regional
ESPECIALIDADE: Análise Regional
RESUMO:

A Lagoa do Mulato é um corpo de água formado pelo represamento natural do riacho Mulato no seu médio curso, no trecho localizado no município de Jardim do Mulato, Piauí. O presente estudo tem como objetivo geral realizar um estudo geoambiental desta lagoa e de seu entorno, destacando sua dinâmica atual, definindo-se como objetivos específicos: realizar uma caracterização geoambiental da lagoa do Mulato e sua área de APP, no contexto da bacia hidrográfica do riacho Mulato; identificar as condições de uso/ocupação da lagoa e de sua faixa de APP (Área de Proteção Permanente); identificar os possíveis impactos ambientais decorrentes do uso e ocupação inadequada dessa área estudada. Os procedimentos metodológicos corresponderam inicialmente ao reconhecimento e a delimitação da área de estudo, paralelamente ao levantamento dos referenciais teóricos e aqueles já realizados sobre a áre de estudo. A segunda etapa constou da organização dos mapas com o apoio do geoprocessamento, utilizando Q-Gis  a partir de arquivos vetoriais da bacia hidrográfica do rio Parnaíba Ottocodificada e shapes disponíveis em fontes oficiais, como IBGE (2014), ANA (2017), todos na escala de 1:100.000. E, também foram utilizados dados da Carta DSG (Diretoria de Serviço Geográfico) na escala 1:100.000, Folha SB.23.Z-B-II – Amarante (BRASIL, 1973). Para uso e cobertura da terra utilizou-se imagens multiespectrais do satélite Landsat 8, a partir da metodologia empregada no Manual Técnico de Uso da Terra (IBGE, 2013) e o Relatório de Monitoramento do Uso e Cobertura da Terra (IBGE, 2018). Foi também traçado o perfil longitudinal do riacho Mulato, como forma de situar a posição da lagoa do Mulato em relação à dinâmica da bacia hidrográfica deste riacho, através da delimitação das seções correspondentes aos trechos do seu alto, médio e baixo cursos. A partir da análise deste perfil pôde-se identificar que esta lagoa se localiza no médio curso do riacho Mulato. Em vários momentos dos trabalhos foram realizadas observações de campo e registro fotográfico, como apoio à sistematização de dados e informações bem como investigar quais os principais produtos  cultivados na APP e espécies de peixes predominantes e retirados da lagoa e qual o destino final destes produtos. Para tanto, a partir de entrevistas aos usuários diretos: os agricultores e pescadores. Estas informações permitiram que se identificasse se os produtos aí cultivados e pescados têm uma representatividade em termos de produção geral do municpio de Lagoa do Mulato, constante no último censo agropecuário do Piauí divulgado (IBGE, 2017).   E, como última etapa metodológica, fez-se uma matriz de listagem de identificação dos possíveis impactos ambientais sobre a lagoa e sua faixa de APP, utilizando-se do método Check-list com base nos parâmetros definidos. Para obter o índice de impactos ambientais utilizou-se os trabalhos de Nascimento (2005) e Sánchez (2008). Como principais resultados destacam-se a identificação e o mapeamento do médio curso do Riacho Mulato, e caracterização geoambiental da lagoa do Mulato, além da identificação e condições de uso da lagoa e sua faixa de APP e os respectivos impactos socioambientais. Os impactos identificados encontram-se relacionados principalmente às áreas de acesso à lagoa, tais como: alteração  do leito fluvial com barramentos das aguas da lagoa; retirada da vegetação e queimadas para ampliação de espaço para de uso agrícola e piscicultura, atividades turísticas e, ainda, descarte de resíduos sólidos e esgoto in natura, principalmente em áreas próximas ao perímetro urbano; e de forma indireta o afugentamento da fauna local.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6422093 - IRACILDE MARIA DE MOURA FE LIMA
Interno - 1461646 - CLAUDIA MARIA SABOIA DE AQUINO
Externo à Instituição - ELISABETH MARY DE CARVALHO BAPTISTA - UESPI
Notícia cadastrada em: 10/07/2021 21:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 03/10/2022 08:15