News

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA DE SOUSA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA DE SOUSA SILVA
DATA: 28/07/2014
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE VIDEO II - CCHL
TÍTULO:

O ENSINO DE GEOGRAFIA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA ALUNOS SURDOS: UM ESTUDO DE CASO DA ESCOLA ESPECIAL CASA DO SILÊNCIO, TERESINA-PI


PALAVRAS-CHAVES:

Cultura. Educação. Geografia. Inclusão. Surdos.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
RESUMO:

O modelo de educação inclusiva adotado no Brasil, ancorando no discurso da igualdade de direitos, tem inserido os surdos e os deficientes nas escolas regulares. Essa inserção por não estar garantindo efetivamente o desenvolvimento intelectual e sociocultural desses alunos tem sido questionada. Nesse discurso ao considera-los deficientes não tem sido respeitada sua identidade enquanto pertencentes a uma cultura diferente. Para o Povo Surdo o ideal seria uma escola na qual o ensino-aprendizagem se desse por meio do respeito à cultura surda, local de encontro onde deveriam trocar experiências com seus pares e onde a língua de sinais deveria ser usada tanto para a comunicação quanto para formação de conceitos e representações de pensamentos, dentre estes os geográficos. Partindo desses pressupostos e levando em consideração minha experiência com a inclusão escolar vigente pretende-se nesta pesquisa realizar um estudo de caso da escola especial Casa do Silêncio-APADA, esta por atender em sua maioria surdos. A pesquisa tem como objetivo analisar as práticas pedagógicas utilizadas pelo professor nas aulas de Geografia, no intuito de verificar se os conteúdos ensinados propiciam a efetiva participação desses alunos na sociedade. Como aporte teórico foram utilizados autores como: Lulkin (2010), Sá (2002), Strobel (2008), Skiar (2010), Perlin (2010), Lopes (2010) e outros. Estes autores embasando-se nos Estudos Culturais compreendem os surdos enquanto sujeitos diferentes e não pela deficiência, consideram que devem ser valorizadas suas particularidades culturais e linguísticas no processo ensino-aprendizagem. Para discutir o modelo de educação inclusiva foram analisados documentos oficiais, entre leis, decretos e outros. Para desenvolvimento do dialogo entre ensino de Geografia e educação para surdos, apoiou-se em autores como: Cavalcanti (2002, 2012), Castrogiovanni (2011), Castellar (2006) dentre outros. Além de autores da Geografia como: Santos (2008) que discutem a inclusão de surdos tanto nas escolas como em sociedade. Este estudo adotou a pesquisa qualitativa e seguiu os caminhos da abordagem etnográfica possibilitando o conhecimento em profundidade sobre as práticas do grupo. A pesquisa bibliográfica e a utilização de procedimentos metodológicos, a exemplo da elaboração de diário de leitura e fichamentos, diário de campo e diários de pesquisa serão desenvolvidos a fim de sistematizar as informações coletadas e auxiliar no desenvolvimento da dissertação. Como instrumentos de coleta de dados será realizada a observação participante das aulas de Geografia do 3º ano do Ensino Fundamental, modalidade Educação de Jovens e Adultos-EJA e do cotidiano escolar, conversas informais com os sujeitos que convivem diariamente na escola (gestor, professores, coordenação pedagógica, pais), análise de documentos como o Plano Político Pedagógico, o Planejamento Escolar, os planos de aula da professora, os cadernos dos alunos, e entrevistas. Os relatos exaustivos das aulas e práticas do professor serão lidos, analisados em consonantes ao embasamento teórico e interpretados de maneira a construir conhecimentos acerca dessa comunidade de surdos.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2173993 - ANA VALERIA MARQUES FORTES LUSTOSA
Presidente - 1671765 - ANDREA LOURDES MONTEIRO SCABELLO
Interno - 1433032 - RAIMUNDO LENILDE DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 18/07/2014 17:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 01:26