Projetos de Pesquisa dos Docentes - PPGCP/UFPI

PROJETOS PROFESSORES LINHA 1:

 

Claudia Cristina da Silva Fontineles

JEITOS DE CONTAR: NARRATIVAS GOVERNAMENTAIS, JORNALÍSTICAS E LITERÁRIAS SOBRE O BRASIL REPUBLICANO

As inquietações de alguns segmentos da sociedade brasileira em relação às narrativas construídas sobre os eventos ocorridos durante os governos de exceção implantados no país, em especial aqueles que se estruturaram após o Golpe Civil-Militar de 1964 e de seus desdobramentos na sociedade brasileira, a despeito de já terem produzido expressivas e valiosas pesquisas, ainda geram muitas controvérsias e demandam estudos, sobretudo pelas indagações que promovem no tempo presente. Algumas das mais significativas provocações feitas sobre esse tema e sobre esse tempo advêm das maneiras de narrar os eventos históricos ocorridos no Brasil após a implantação dos governos militares bem como seus campos de força e de tensão  e os desmembramentos que essas narrativas promoveram na sociedade brasileira contemporânea. Dentre essas narrativas, as que despertam nosso interesse, nesta pesquisa, são as que foram produzidas pelos órgãos oficiais governamentais, meios de comunicação da época e pelas obras literárias escritas no período ou que a ele se reportam.

 

Clayton Mendonça Cunha Filho

Políticas externas latino-americanas: politização, coalizões domésticas e clivagens

Contribuições recentes no âmbito da Análise de Política Externa enfatizam o seu caráter de política pública, incentivando a busca por compreender as dinâmicas em torno da politização doméstica dos assuntos vinculados à formação, discussão e implementação de políticas externas em distintas nações. A agenda de pesquisas aqui proposta parte do pressuposto de que a política externa se insere nas arenas domésticas de disputa entre atores distintos, mesmo que nem todos os assuntos ganhem sempre o mesmo grau de politização. Além disso, nem todos os temas que são politizados ganham notoriedade pública. Em relação aos atores envolvidos, entendemos que, de forma semelhante ao que ocorre em outros âmbitos da agenda pública, individuos, grupos e entidades com preferências convergentes em assuntos de política externa podem formar coalizões, as quais podem coincidir ou não com clivagens políticas pré-existentes ou até mesmo configurar novas clivagens especificamente orientadas a assuntos de política externa. O espaço latino-americano, caracterizado pela presença de Estados com trajetórias e desafios semelhantes de inserção internacional, se revela como um âmbito particularmente adequado para os esforços sistemáticos de análise empírica das dinâmicas em que opera a politização doméstica dos assuntos de política externa. Assim, pretendemos a construção de uma agenda ampla para a identificação de padrões e regularidades nos processos decisórios, temas recorrentes, modalidades de politização das políticas exteriores da região. Algumas das perguntas que orientam esta agenda são: quais são os temas que geram maior politização na agenda externa dos países latino-americanos? Que tipos de atores políticos se envolvem com maior intensidade e quais são suas preferências? Quais são as clivagens de política externa que estruturam as arenas políticas nos distintos contextos nacionais? Existe algum padrão na formação de coalizões com atores específicos que correspondem as clivagens mais frequentes?

 

Johny Santana de Araújo

Nacionalismos, Guerras modernas e Conflitos contemporâneos

Descrição: Pretende-se com o projeto fazer uma análise da influência do conceito de nacionalismo na construção dos conflitos contemporâneos desde o século XIX até os dias atuais, e sobre a sua influência na formação dos Estados Nacionais atuais. A maioria das reflexões encontram-se disponíveis em livros, documentos oficiais, artigos de jornais, cartas, diários, reminiscências, e relatórios diversos contidos em acervos de arquivos públicos e particulares. Pretende-se com esse projeto compreender como se processou a maioria dos conflitos que de alguma forma ocuparam espaços de sociabilidades dos mais diversos sujeitos políticos e diferentes grupos étnicos e ideológicos que deram sua contribuição para a construção e formação dos Estados Nacionais, dentre eles o próprio Estado Nacional brasileiro, em diferentes tempos e espaços geopolíticos da contemporaneidade. Muitos desses sujeitos se tornaram além de narradores, protagonistas dos processos, resultando na produção de uma vasta documentação. Objetiva-se, portanto, dar uma contribuição para o campo da história social, cultural e da história militar e da história das relações internacionais.

 

Luciana da Conceição Farias Santana

Estrutura Institucional e agenda do poder executivo estadual em perspectiva comparada

Descrição: Estudos sobre a emergência da presidência institucional tem ganhando cada vez mais espaço nos estudos sobre o Poder Executivo, seja em estudos de caso como o brasileiro, seja em perspectiva comparada. Apesar da relação com os estudos sobre o Presidencialismo, a Presidência institucional distingue-se pela especialização, diferenciação funcional e profissionalização das estruturas de apoio direito ao Presidente da República (Inácio & Llanos, 2014). Trata-se, portanto, de uma estrutura de coordenação interna e staff diferenciado à disposição dos presidentes para definirem suas agendas prioritárias. Considera-se também que tais recursos asseguram, potencialmente, vantagens estratégicas aos chefes do Executivo na aprovação e implementação das agendas de governo. Apesar do avanço na agenda de estudos e conhecimento acumulado e produzido sobre o Executivo federal no Brasil, não houve um avanço no mesmo sentido sobre as Unidades subnacionais. Em relação aos estados brasileiros, pouco se conhece sobre a situação de suas instituições políticas, suas características burocráticas, papel desempenhado por governadores, bem como a dinâmica política estadual. Esta proposta visa abrir e consolidar uma agenda de pesquisa ampla sobre as instituições políticas estaduais, especialmente sobre o Executivo. De forma específica, o projeto aqui apresentado busca analisar, de forma comparada, a estrutura de organização e coordenação institucional à disposição dos governadores.

 

Monique de Menezes Urra

Projeto Piloto Centro de Eficiência em Sustentabilidade Urbana – CESU de Teresina

Implantação do Primeiro CENTRO DE EFICIÊNCIA EM SUSTENTABILIDADE URBANA – CESU, um laboratório urbano vivo que terá como principal escopo disponibilizar aos municípios, relatórios de avaliação de aplicações de tecnologias para soluções inteligentes e sustentáveis em cidades, alimentados por dados coletados a partir de dispositivos de monitoramento ativos em ambiente real e analisados quanto a sua aplicação em larga escala, mediante simulação e prospecção de estratégias para a implementação de políticas públicas de gestão e modernização das infraestruturas locais de acordo com a dimensão/caracterização de cada município. Projeto financiado pelo CNPQ.

 

Raimundo Jucier Sousa de Assis

A geopolítica sino-americana para Sul Global e suas consequências territoriais

As duas primeiras décadas do século XXI têm sido marcadas pelo redesenho do espaço mundial, em especial, a partir da primeira crise do capitalismo de 2008. Este momento tem evidenciado, em conjunto, o declínio da geopolítica do neoliberalismo orquestrada pelas potências ocidentais, sobretudo, os Estado Unidos, e reaberto novos debates sobre o “capitalismo asiático”, em destaque, a ascensão da China como novo poder global, apontando um horizonte para as relações e os conflitos internacionais relacionado a inserção do Estado chinês na disputa pela hegemonia e influência regional, particularmente, no Sul Global. Diante disto, a presente investigação enseja analisar como a construção da China como nova potência econômica-militar, com características políticas e institucionais tão peculiares, e sua rivalização com os Estados Unidos pela hegemonia no Sul Global, impactam a América Latina e, principalmente, o Brasil neste primeiro quartel do século XXI.

 

Raimundo Batista dos Santos Júnior

As interfaces entre as demandas sociais interacionais e a definição de política dos governos nacionais

O presente projeto de pesquisa analisa as relações entre a interdependência e a formulação de políticas sociais a partir da intensificação dos conflitos gerados pela globalização. O processo de interdependência entre os países que intensificou a globalização tem exacerbado a percepção dos pontos de diferença e de convergência de governos, grupos e classes sociais internacionalmente. Isso significa uma maior percepção das desigualdades sociais, da pobreza, de questões de gêneros, dos problemas ambientais, das minorias etc. Essas questões têm ampliado a pressão internacional realizada por organizações da sociedade civil, das organizações internacionais, da mídia tradicional e das redes sociais para que os governos fortaleçam ou concebam padrão de desenvolvimento inclusivo que garanta mais segurança aos grupos socialmente vulneráveis, com a implantação de políticas de redistribuição de rendas, de proteção das mulheres, dos LGBTQIAP+, do meio ambiente. Nesses termos, este trabalho procura responder ao seguinte problema de pesquisa: a influência dos atores internacionais na efetivação de políticas dos governos nacionais tem encontrado acolhida nas políticas públicas dos Estados nacionais?

 

 

 PROJETOS PROFESSORES LINHA 2:

 

Bruno Mello Souza

Cultura política, opinião pública e democracia no Brasil

Esta pesquisa tem por objetivo, de maneira ampla, examinar e analisar a democracia no Brasil pelo prisma da cultura política e da opinião pública. Busca-se, por meio dela, verificar fatores que impactam o funcionamento do regime democrático no país, tais como a confiança nas instituições, a relação que os cidadãos estabelecem com o voto e com suas escolhas eleitorais, padrões culturais a respeito do papel do Estado e das visões que os indivíduos possuem em relação ao mesmo, o papel da mídia no processo democrático. Essa série de elementos permite que se reflita o processo de consolidação da ainda jovem democracia brasileira. A partir dessas análises, abrem-se possibilidades comparativas tanto com casos de outros países, especialmente no contexto da América Latina, como também em relação a diferenças existentes internamente a partir da complexidade do tecido social brasileiro, com seus distintos grupos e diferenças regionais. O amparo empírico para tal proposta é oriundo de bases de dados nacionais e internacionais, como o Estudo Eleitoral Brasileiro (ESEB), o Latinobarômetro e o World Values Survey.       

 

 

Helga do Nascimento de Almeida

Comportamento eleitoral e campanha política online

Tecnologias de informação e comunicação, em particular, a Internet, reconfiguraram profundamente a dinâmica de conflitos na sociedade contemporânea em diferentes níveis. Neste sentido, o presente projeto ambiciona construir um Observatório de Conflitos na Internet, capaz de consolidar-se como uma referência nacional e internacional de pesquisas na área. Para tanto, propõe a realização de uma ampla pesquisa, de caráter interdisciplinar e estruturada em quatro etapas, visando: I) construir um arcabouço teórico consistente para definir e identificar conflitos na Internet; II) construir metodologias e sistemas computacionais capazes de observar, sistematicamente, a dinâmica dos conflitos na rede; III) analisar e sistematizar os dados referentes aos conflitos na Internet; IV) contribuir propositivamente para o desenho de políticas públicas capazes de potencializar os efeitos produtivos dos conflitos na Internet e ampliação do debate sobre a temática de estudo do Observatório.

 

Francisco Jozivan Guedes de Lima

Justiça e Esfera Pública: procedimentalismo e reconstrução socionormativa

Descrição: Tenciona-se investigar as contribuições de Kant, Hegel, Rawls, Habermas e Honneth para as teorias da justiça e o seu impacto na esfera pública tanto no seu aspecto conceitual quanto na sua inflexão prática no ethos social e político brasileiro, observando-se suas nuances concernentes ao procedimentalismo e à reconstrução socionormativa.

 

Joscimar Souza Silva

Líderes políticos digitais e novas metamorfoses da representação política na América Latina

Descrição: Na última década (2010-2020) novas lideranças políticas se candidataram a cargos públicos convertendo a visibilidade e legitimidade nas mídias sociais digitais (redes sociais) para a representação política em países da América Latina. O que isso pode significar na conturbada conjuntura de acirramento da crise de representação e nesse contexto onde a região está cada vez mais conectada às mídias sociais, dado que grande parcela da população está conectada à internet apenas pelos celulares e recebem informação política predominantemente via mídias sociais digitais? Essa pesquisa se dedica ao estudo da interação entre lideranças políticas digitais e seus seguidores, verificando as dinâmicas da representação política em contextos onde essas lideranças assumem cargos eletivos. Embora haja estudos sobre o fenômeno das lideranças políticas digitais, eles se constituem de estudos de casos isolados e ainda não há estudos sobre o desempenho dessas lideranças enquanto representantes políticos eleitos. Para executar esta pesquisa, utilizamos uma base de dados já parcialmente construída pelo pesquisador responsável com dados sobre líderes políticos digitais do Brasil, México e Peru referente aos anos 2018-2020, agregando dados minerados de mídias sociais e uma enquete online com seguidores que avaliou a legitimidade dos líderes estudados agrega mais três países: Bolívia, Chile e Uruguai. Financiamento ABCP.

 

Olivia Cristina Perez

O que querem os movimentos de jovens feministas, antirracistas e a favor dos direitos para a população LGBTQIA+? Compreensões sobre as desigualdades sociais e como mitigá-las

Descrição: êm crescido o debate e o número de organizações políticas formadas por jovens que defendem direitos para as mulheres, negros e população LGBTQIA+ de modo isolado ou interseccional. Para contribuir com o conhecimento sobre esse campo, a presente pesquisa parte da seguinte questão: quais são as pautas dos principais movimentos sociais brasileiros formados por jovens que defendem os feminismos, os antirracismos e os direitos para a população LGBTQIA+ e o que há de comum nas suas trajetórias? Temos como hipótese preliminar que as demandas atuais expressam a busca por direitos para grupos percebidos como aqueles mais sujeitos a opressões sociais. A análise da trajetória dessas demandas permite compreender como a percepção sobre as desigualdades sociais vem se alterando no sentido de apontar para o caráter múltiplo e interseccional delas, ao contrário de certa homogeneização associada à classe social. Para compreender o que explica as mudanças nas percepções sobre as desigualdades sociais, retomamos marcos no campo social e governamental que levaram mulheres, negros e LGBTQIA+ a ocupar mais espaços em instituições centrais da sociedade brasileira, possibilitando a relação deles com outros atores e, consequentemente, a difusão da concepção de que as desigualdades sociais também têm relação com essas clivagens. Para sistematizar as pautas dos três principais movimentos sociais brasileiros em cada uma dessas áreas (feminismos, antirracismos e direitos LGBTQIA+) analisaremos os documentos produzidos pelos movimentos além de entrevistas qualitativas com seus principais líderes. Os resultados serão divulgados por meio de artigos científicos, um livro, uma cartilha e um vídeo dirigido principalmente para as juventudes, contribuindo assim para que tanto a academia quanto a população em geral conheçam mais sobre o campo. Financiado pelo edital Universal CNPQ 2022 e realizado em parceria com pesquisadores da UFRN e UFPE.

 

Olivia Cristina Perez

Juventudes e protestos na América Latina

O objetivo da pesquisa é descrever as configurações das mobilizações juvenis que participaram de protestos recentes na América Latina, problematizando certas caraterísticas atribuídas a elas. O estudo também analisará os motivos que explicam as mudanças nas formas de mobilização, a partir de teorias que versam sobre as relações entre os cidadãos e as instituições democráticas contemporâneas. Outro escopo do estudos são as juventudes ä direita. O projeto é desenvolvido junto ao Grupo de Trabalho Infâncias e Juventudes da Clacso e financiado pela instituição.

 

Vítor Eduardo Veras de Sandes Freitas

Organização dos partidos e alianças partidárias nos estados brasileiros

Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a organização interna e as alianças eleitorais dos partidos políticos no período de 1994 a 2014 nos estados brasileiros. Esta pesquisa visa compreender como os partidos políticos têm se organizado internamente e se articulado nas eleições nos estados, seguindo seus propósitos e objetivos políticos dentro do novo contexto democrático brasileiro. Observa-se que apesar dos estados terem dinâmicas políticas particulares e diferenciadas entre si, as disputas eleitorais no nível nacional têm impactado sobre as dinâmicas políticas estaduais, principalmenNa última década (2010-2020) novas lideranças políticas se candidataram a cargos públicos convertendo a visibilidade e legitimidade nas mídias sociais digitais (redes sociais) para a representação política em países da América Latina. O que isso pode significar na conturbada conjuntura de acirramento da crise de representação e nesse contexto onde a região está cada vez mais conectada às mídias sociais, dado que grande parcela da população está conectada à internet apenas pelos celulares e recebem informação política predominantemente via mídias sociais digitais? Essa pesquisa se dedica ao estudo da interação entre lideranças políticas digitais e seus seguidores, verificando as dinâmicas da representação política em contextos onde essas lideranças assumem cargos eletivos. Embora haja estudos sobre o fenômeno das lideranças políticas digitais, eles se constituem de estudos de casos isolados e ainda não há estudos sobre o desempenho dessas lideranças enquanto representantes políticos eleitos. Para executar esta pesquisa, utilizamos uma base de dados já parcialmente construída pelo pesquisador responsável com dados sobre líderes políticos digitais do Brasil, México e Peru referente aos anos 2018-2020, agregando dados minerados de mídias sociais e uma enquete online com seguidores que avaliou a legitimidade dos líderes estudados agrega mais três países: Bolívia, Chile e Uruguai.

 

Vitor Lacerda Vasquez

Instituições políticas, padrões de interação Executivo-Legislativo e capacidade governativa

A pesquisa levada a cabo foi estruturada tomando a importância de duas variáveis de natureza institucional como chaves para o entendimento do padrão de relações entre Executivo e Legislativo e no desempenho governamental. Em acordo com a tendência dominante nos estudos comparados, assume o poder explicativo das variáveis institucionais, porém diferencia-se das tendências dominantes nesta corrente da literatura ao questionar a ênfase excessiva, quando não exclusiva, depositada nas variáveis ligadas aos sistemas eleitorais e partidários e à forma de governo. O caráter inovador do projeto permitiu que ele fosse capaz de fazer contribuições originais ao debate acadêmico nacional e internacional. A versão do projeto em andamento segue o formato das versões anteriores, a saber: é composto por dois tipos de projetos, um de cunho mais geral, ligado à perspectiva macro adotada e a sua aplicação concreta no estudo da democracia brasileira a que chamaremos de espinha dorsal do projeto e de projetos específicos, voltados para pesquisas focadas em temas selecionados e cuja execução e formatação se dão no interior da versão específica do projeto temático aprovado. Incluímos neste grupo, portanto, tanto projetos cuja definição decorre de um recorte da pesquisa mais ampla como também seus desdobramentos. A pesquisa relacionada à espinha dorsal foi mantida em todas as versões do projeto até aqui realizadas. Trata-se da pesquisa acerca do funcionamento do sistema político brasileiro, com ênfase nas relações entre o Poder Executivo e o Legislativo. As variáveis independentes privilegiadas são as ligadas ao processo decisório, mais especificamente, as variáveis institucionais que definem que atores controlam a agenda decisória.

 

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 15/06/2024 15:08